segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Educação Mangaratiba e o respeito do governante!




Então....
O blog chapa branca, após um bom período de inatividade, volta à ativa com algumas questões que interessam a todos nós.

E como sempre afirmei, não deixou de ser um blog de opinião... a minha, porém com a participação dos comentaristas que podem ou não comungar do que pensa a dona do blog.

E por isso, inicio parabenizando o prefeito Dr. Ruy Tavares Quintanilha por sua atuação nestes quatro meses, em especial no esforço que vem dedicando, apesar de todos os problemas encontrados, na Educação!

Primeiro, pela  calma e tranquilidade com que escolheu a secretária de educação, pessoa que dispensa qualquer apresentação a população.  Por suas mãos já passaram tantos e tantos munícipes e já encontramos netos destes primeiros alunos em seu currículo.

Segundo por toda garra em enfrentar os entraves deixados por anos e anos de sucateamento de escolas e o uso da educação para fins não tão nobres como deveria ser a educação de nossos sonhos. E a coragem em enfrentar os empecilhos deixados pela última gestão que praticamente feriu de morte nossa educação.

Terceiro, por  entender que neste momento, a educação tem um grito preso na garganta que perdura por vários anos e que precisa ser solto para poder se encontrar em sua missão.

Desta forma, em um ato democrático e de respeito, não se opôs ao manifesto programado para o dia 18/08/2015, inclusive deixando isto bem claro para o Sindicato do magistério (SEPE), em reunião promovida pela secretária e os diretores desta entidade. Claro que devidamente acordado que este dia deverá ser reposto no calendário escolar. 

Neste encontro foram expostos os motivos que levam a um ano tão difícil para a educação, principalmente no que diz respeito às condições de trabalho destes profissionais e o momento de extrema delicadeza na saúde financeira do município onde a cautela e a responsabilidade são a tônica que um bom governo deve imprimir em sua gestão.

Mas, o que pode ser considerado mais importante, é a firme convicção do prefeito de que poderemos juntos, profissionais, população e governo, iniciar o engatinhar da democracia em nosso município e para isso, nada melhor do que contar com a educação para essa aula de cidadania respeitosa, aprendiz e com o único intuito de promover  um novo rumo para nossa gente.

Assim como em 2010, ainda como vereador, quando apoiou o movimento da educação em busca de melhorias salariais, nos fornecendo insumos para que pudéssemos lotar a Câmara e unir parte destes profissionais, agora como prefeito, funcionário público, dá uma aula de respeito a classe,  garantindo que não haverá represálias a um movimento pacífico, responsável e que devidamente  organizado, deve garantir que nossas crianças não sejam prejudicadas. 

A garantia do concurso público, as reformas nas escolas, o caos nas escolas de educação infantil, creches e dificuldades em promover as boas condições de trabalho para nossos profissionais foram expostas e repassadas por nossa Secretária de Educação ao SEPE que em sua ética como representantes críveis de uma categoria, deverão repassar a todos o teor deste encontro.

Enfim, parabéns Prefeito Dr. Ruy Tavares Quintanilha, por mais este passo rumo a paz e a lucidez na gestão de nosso município!

sábado, 18 de julho de 2015

Caminhando e pensando! Mangaratiba é agora!



Mangaratiba começa a caminhar!
Ai, Meu Deus... vou levar chumbo de todos os lados, mas esta é a realidade.
Claro que esta caminhada ainda é por passos lentos e titubeantes, com muito cuidado e abrindo espaço onde só se encontra sujeira e entulho... e isso não é no sentido literal somente,  mas no sentido figurado principalmente.

Não existe uma só ação que possa ser feita sem antes mexer nos entraves, no descaso, na incompetência deixada que amarra qualquer ação mais elaborada.
Encontramos saúde destruída, meio ambiente devastado sem ações concretas, município com ruas sujas e abandonadas nas situações mais simples, falta de recursos financeiros, educação maquiada sem que se pudesse até agora, fazer o simples “feijão com arroz” educacional para dar suporte ao ano letivo.

Continuamos com muitos problemas, mas já podemos sentir um certo alívio para  dar andamento ao nosso cotidiano como população. Temos pessoas empenhadas em proporcionar um bom resultado na gestão, temos pessoas dispostas e tirar o município do limbo!! Serviço público atuante, saúde se reorganizando, meio ambiente mais estruturado e visivelmente mais técnico, ações de eventos que intensificam o giro econômico e planejamento em busca de recursos.  

Esta semana, tivemos mais uma demonstração de que  queremos uma Mangaratiba que faz e sabe como é a nossa realidade, sem medo de partilhar nossas falhas educacionais e a partir disso, colocar nos trilhos nossa Educação.  E isso será feito com a nomeação de nossa Secretária de Educação, Dirce Maria de Oliveira dos Santos, profissional dedicada que conhece nossa realidade, nosso perfil  social e que sabe que cuidando da base de nossas crianças, construiremos as oportunidades de igualdade de competição dos nossos jovens aos saberes que os colocarão em igualdade ou melhor que os demais jovens ao acesso ao ensino médio.

É cuidando de nossa competência como gestores, ou seja, cuidando da educação infantil e ensino fundamental sem despender recursos de competências municipais para esferas que não são nossas. Preparando pequenos cidadãos mais questionadores, disciplinados e que guardem para suas vidas o legado de uma experiência plena no ensino fundamental que é a base de toda a educação. Bom, claro que teremos que enfrentar ainda muitos problemas, até mesmo na educação, mas este é o caminho!

Mas, quero mesmo é partilhar de nossos maiores problemas...segurança e desenvolvimento econômico... como está complicado!!

Na questão do desenvolvimento econômico, claro que já percebo ações para isso, mas temos os entraves da crise em nosso país... o número de ofertas de emprego, teve a sua pior baixa no mês de Junho e são inúmeras as empresas que quebraram ou que encontram-se em estado de falência pelo desaquecimento econômico.

De certa forma, até mesmo por não sermos polo industrial, nem comercial, esta crise nos afetou de forma menos intensa, e por isso é a hora de desenvolver nosso perfil real que é o turismo.  Aproveitar o momento e fazer bem feito, com cautela, com parcerias e empenhados em captar recursos próprios para isso. E estamos caminhando mesmo!

Agora, segurança... meu Deus, como está horrível! E sem segurança, nada conseguiremos, pois a porta da miséria social se abre, a clausura da população aumenta, o medo de exigir direitos nos silencia e o poder paralelo do tráfico e das milícias de expande. Estamos sendo assaltados, temos assassinatos, domínio de “donos” de comunidades aumentando, força bruta e o aumento de retirantes de outros municípios para as ruas de nossos distritos. E não será tapando o sol com a peneira, fingindo que isso é normal, pois não é! 

Não podemos aceitar que a falta de segurança, competência do estado, seja substituída por “justiceiros” que deveriam estar sendo combatidos e que no entanto passam a ser considerados como mal menor.  Chega! Se é para reconstruir Mangaratiba, que seja de forma completa em todas as esferas,  sem nos adaptarmos as mazelas de outros municípios, como se isso fizesse parte da vida de um lugar que luta para conquistar um  patamar de qualidade de vida que nunca tivemos.
Assim, quero apelar para gestores e população para que se unam em torno deste assunto, e assim possamos encontrar mais um caminho que nos tire desse vislumbrar sujo que desponta em Mangaratiba.

Que a PM aumente seu efetivo, que as oportunidades sociais sejam metas constantes, que se compareça as reuniões de segurança, que o legislativo se empenhe em contatos com o governo estadual e levem nossas demandas de segurança, que o poder municipal entre com ações em comunidades mais carentes, que as ruas sejam iluminadas, que o transporte seja eficiente para que possamos ir e vir com mais segurança e em todos os horários, permitindo assim que se possa viver interagindo com os distritos e saindo desse sequestro de cidadania em que vivemos.

Hoje, ao ver o “meu” morador de rua ser tripudiado por pessoas que se dizem “com” muitos direitos deixarem de lado sua civilidade e partirem para agressão a ele, pensei  em  como deve estar acontecendo nas vielas das comunidades abandonadas e silenciadas pela força bruta dos paladinos da justiça... é.... vamos ter que encontrar a solução!!!


domingo, 5 de julho de 2015

Vamos de poeminha

É fácil não brigar e por vezes, só por vezes discordar
É mais fácil se enganar e e não se deixar desirmanar
Mas tem horas que se diz...
Cadê os amigos que fiz?

Se te conheci na calmaria, se te soltei o grito
como podes imaginar que vais intimidar ou tentar tripudiar?

O que te move é de fato o que dizes?
Ou o que dizes não é de fato o que te aflige?

Sei fazer bem diferente, sei também não irmanar
mesmo não sendo fácil com o amor brigar!

terça-feira, 23 de junho de 2015

A intolerância e a ignorância - primas irmãs.

A confusão impera! 

Confundem liberdade de expressão com destruição. Creem que devastar vidas, esmiuçar o passado de alguém é direito inalienável e lá se vai a intolerância fazendo seu papel de "involuir" a própria sociedade...

Expõem problemas particulares como se fossem pela causas do bem comum... e lá se vai a ignorância matando, empurrando para o fundo do poço vidas e matando a auto estima alheia.

Foi assim, quando expuseram uma família inteira em reportagens, em um caso que ficou notório por abuso da imprensa sensacionalista que foi o da Escola Base em que acusaram os donos de abuso sexual contra as crianças.(Veja aqui )
E lá ia a intolerância fazendo estragos vinte anos passados...


Foi assim, quando levianos publicaram no face uma falsa notícia sobre uma dona de casa que sequestrava crianças... o caso do Guarujá. ( veja aqui )
E lá vamos nós, de mãos dadas com a ignorância, matando vinte anos depois...


Ignorância e intolerância são mesmo primas irmãs... não somam, não agregam, se contradizem, pois normalmente é usada pelos que se dizem arautos da moralidade e dos bons costumes... destruindo uns para se dizerem cheios de verdade, quando na verdade querem vingança, maldade contra outros.

Que pena! 

São as pessoas mais infelizes e doentes, pois colocam suas vidas a serviço do nada e encontram uma maneira de justificar a falta de coragem em estender as mãos para o próximo e de viverem de forma coletiva, aproveitando-se da fragilidade e dos enganos alheios, escondendo para si mesmos, a sete chaves, os seus problemas familiares, pessoais e até mesmo sociais.

Vivo em um lugar assim, onde a aparência social é o que conta e as vantagens  são o mero poder de destruir pessoas.

Parabéns! Somos um povo que resolveu se auto destruir!