quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Sofrência carnavalesca - Mangaratiba 2015


Não era essa postagem que qualquer pessoa que vive em Mangaratiba, seja ela nascida, criada ou que tenha adotado este município para chamar de nosso, gostaria de ler depois de um evento de verão.

Mas, é o que se apresentou para "todos" nós. Posso afirmar sem a menor sombra de dúvidas que foi um dos piores carnavais dos últimos anos. Caso não tivesse um gasto sequer, seria menos vergonhoso.

Para comentar a malfadada experiência, precisamos partir das seguintes observações:
1. O direito de ir e vir.
2. A democratização do direito à cidade.
3. O direito de exigir direitos.

Não precisamos ser cientistas políticos para conhecer e entender estas observações. Conciliar interesses que por vezes são antagônicos é tarefa do poder público, que se vale das Leis para que se regulem as divergências individuais.

Assim, um município que "pretende"  ser polo turístico, não pode mais improvisar, nem mesmo se permitir um desconforto e insegurança a seus munícipes em todos os sentidos destas duas palavras.
Também não podemos culpar o caos aos nossos visitantes, pois a porteira do abandono foi aberta pela própria administração de nosso município que literalmente deixou-nos a própria sorte e ainda promoveu a desordem na medida em que "pareceu" fazer liquidação de R$ 1,99 sobre o espaço público.

Tivemos todas as irregularidades possíveis e imagináveis, como ambulantes irregulares em quantidade nunca vista, tivemos permissões de entrada de vans e ônibus irregulares, tivemos venda de bebida alcoólica para menores, venda de gelo em caminhões em frente a comércios regulares, ocupação de calçadas, brigas, morte, aglomeração, sujeira, pornofonia em ritmo de funk, afrontas aos munícipes, desrespeito aos portadores de necessidades especiais, precariedade de recursos para o atendimento médico, enfim, deixou a desejar em todos os aspectos.

E o que mais me causa indignação é a comparação com os problemas de outros municípios... ora, de forma bem simples, digo que cada um lamba a própria pata e não podemos ficar o tempo todo sempre nos nivelando por baixo e culpando quem aqui chega por nossa própria incompetência.

Sempre atraímos os visitantes da baixada, zona norte e oeste do Rio de Janeiro e somente agora estamos atraindo em proporções maiores o que há de pior nesses e em outros locais. É a propaganda do boca a boca feita durante o ano que tem sido de total abandono por parte da gestão deste governo inerte e repleto de denúncias de corrupção. 

 Quando o poder público se faz presente durante o ano, quando o poder público se antecipa ao evento, "doutrinando" com ações e aplicação das leis tanto a população, quanto seus visitantes, fica muito mais fácil coibir a invasão irracional de nossos distritos. E o mais imprescindível, quando a gestão tem credibilidade junto a seu povo na garantia dos  direitos de seus cidadãos.

Poder público que não se faz presente o  ano todo, não fornecendo infraestrutura, não regulando os diversos interesses da população local, não se fazendo crível junto a seu povo, acaba culminando com o total desaparecimento em épocas de grande trabalho, ações e parcerias importantes.

Não entendo um governo em que não há integração entre suas secretarias, que não entende que para cada projeto, planejamento ou evento, deve-se ter ações em bloco, onde todos estarão a serviço da população. Não adianta um fazer alguma coisa e outros não se permitirem atender as necessidades daquele que será responsável pelo sucesso, equilíbrio e satisfação ao público alvo. E também não adianta tapar o sol com a peneira, tentando parecer que tudo transcorreu dentro da normalidade como se existisse um município paralelo onde a maioria da população não foi convidada a conhecer.

Tenho lido pérolas de alienação....
"Se não gosta de carnaval, mude-se, viaje..." Não! É aqui que vivo e é aqui que quero que o poder público aja para regular os diversos interesses, aplicando as Leis, seu código de Postura e  atuando para atender a diversidade cultural, social e de lazer de sua gente e de seus visitantes. 
"Ah! Agora o governo é responsável por São Pedro ter enviado chuva".... claro que não! Ele só é responsável pelas consequências da chuva em nosso município.
"Ah! A orla de Muriqui sempre foi o fervo...." então se sabem disso, por qual motivo nem banheiros químicos foram colocados ali? Por qual motivo, não proibiram a entrada de carros que ajudaria muito a diminuir a possibilidade do inferno sonoro que vivemos, facilitaria o trânsito de ambulâncias, facilitaria o circular da PM, diminuiriam o comércio irregular que foram feitos em veículos, facilitaria a fiscalização, caso ela se fizesse presente, o que não aconteceu, e inibiria os transtornos aos moradores com estacionamentos irregulares, carros transitando na contramão e ocupação de espaço para o direito de ...ir e vir! Enfim, por qual motivo o poder público não se fez presente? Isso sim, foi segregação... só faltou o tapume que  Eduardo Paes colocou na linha Amarela e aqui seria na linha férrea, para ninguém ver o que lá acontecia.

Fazer um carnaval de fotos de Carnamar ou de pontos específicos que não são de grande concentração é mole... quero ver ouvir a população, punir os gestores que abriram as portas do inferno para levar alguma vantagem, pois a impressão que tivemos, foi de que deu-se  ordem: "Vamos com tudo, porque está acabando a mamata!"

Bom, citei Muriqui, por ser o distrito em que vivo, mas este horror aconteceu em TODOS os distritos que foram feitos reféns da omissão de seus governantes que a cada dia, barbarizam mais e mais a população que exausta, já não suporta mais tanto abuso de um poder capenga, inútil e desmoralizado.




terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O legado, a vergonha e a vontade de Mangaratiba.

Em um momento político muito triste para nossa Mangaratiba, lá se foi o prefeito simples de gestos educados fazer sua viagem rumo a eternidade.

O sempre prefeito José Miguel Olimpyo Simões nos deixando um pouco mais desamparados de bons exemplos na política de Mangaratiba. Prefeito por duas vezes, foi acertando dentro das possibilidades de recursos financeiros ( que eram outros e bem menos vultosos) o início de um desenvolvimento para nosso município.  

Tempos idos, incomparáveis em recursos e em necessidades da população, porém exemplar para o legado da ética e da forma com que o poder é exercido em prol de seu povo.

Que não se perca este legado, ao menos entre aqueles que querem resgatar a boa conduta na política!

Assim, me volto para a Câmara Municipal de Mangaratiba, que tem entre seus representantes alguns ansiosos e apressados pré-candidatos a prefeito de nosso município que desejam alçar este voo, sem ao menos terem conseguido  pular amarelinha na Câmara mostrando que nos representam em anseios, direitos e em necessidades de nossa cidadania. 

Será que a aproximação com o poder executivo, os cegou a tal ponto que não mais percebem nossa indignação e de não mais escutar o que se diz abertamente nas ruas? Não perceberam que perdemos de vez o resquício de respeito por este governo que aí está nos conduzindo ao maior erro da história de Mangaratiba? Será que nos desprezam tanto que imaginam que bastará acenar com lero lero de ações e iremos esquecer tudo que estamos vivendo? Será que se acham mandatários da vontade popular? 

Talvez estejam precisando de incentivos que os façam mensurar a realidade! Talvez não tenham percebido que não há mais nada que o executivo possa fazer para minimizar este estrago social! Onde colocam as mãos, promovem dúvidas, desencantos e questionamentos não só para a população, como para o Ministério Público que observa e facilmente pega as improbidades feitas! Cometem erros irreparáveis que para consertar, os remetem a cometer erros mais graves em todas as áreas de gestão. Não salvaguardam nem mesmo aqueles que desejavam contribuir para um desempenho mais satisfatório deste governo. E em um império das vaidades, aqueles que querem trabalhar por algum ideal são difamados e massacrados por eles mesmos... porque são predadores sociais, morais e de um egocentrismo a toda prova.

Então, voltando ao incentivo, para que nossa Câmara ACORDE, podemos começar a enviar mensagens para o email da Casa Legislativa, solicitando que os mesmos nos representem e se comportem como esperamos que façam, e não atuem em acordo a seus interesses pessoais e por sua própria interpretação do que é vergonha, do que é ética e do que é decoro parlamentar!

Pedimos abertura da Comissão Processante e consequente cassação do mandato do Prefeito Evandro Bertino Jorge, o Capixaba!



contato@cmmangaratiba.rj.gov.br


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Manifestação, meu desabafo!



Para vocês que não puderam ir, partilho o meu desabafo...
 

"Em primeiro lugar, quero parabenizar essas pessoas que se dispuseram a sair de suas casas ou trabalho para aqui participarem.

Isso é gesto de responsabilidade que precisa ser incentivado entre nós.
Enfim, o que me fez superar a timidez é meu dever de cobrar e meu direito em viver em um município ordenado, com uma administração transparente e capaz de gerir nossos recursos com eficiência e respeito a todos nós.
Hoje, devemos mostrar a aqueles que foram alçados a representantes da população que não viemos aqui pedir favores, nem mesmo viemos pedir direitos... Viemos aqui exigir que façam o dever de casa que é ser voz de nossa população, da qual fazem parte e pela qual foram eleitos.
O escândalo da administração de Mangaratiba. escancarado em rede nacional não pode mais ficar por debaixo dos pés daqueles que tem como função fiscalizar as ações do executivo.
Hoje, já não se tem mais justificativa, nem desculpas de que não sabiam que a maioria foi eleita para outro mandato, e nem cabe mais a desculpa da inexperiência... A reportagem da Globo, esfregou na cara de todos o que já intuíamos, o que percebíamos no nosso dia a dia, o que se comentava nas ruas e o que a desfaçatez dos envolvidos insistia em mostrar.
Hoje, quero pedir providências e atitudes. Chega de dançar zumba na câmara, levantando para blindagem ao executivo e sentando em cima de nossa dignidade e cidadania. Que passem a entender que os poderes são independentes e que a Câmara não é um puxadinho da prefeitura. Quero pedir que se respeitem, para que possamos juntos, arcar com as consequências deste engano coletivo.
As evidências de má gestão são perceptíveis a qualquer leigo que se interessar em buscar informações sobre gastos de nossos recursos.

Será que algum dos vereadores, já perguntou o motivo de termos tantos gastos com empreiteiras e não termos nem mesmo uma só escola construída neste governo? Foram R$14.342.325,36 pagos a seis empreiteiras e ainda temos empenho de R$ 5.425.848,28 para estas mesmas empresas. É ... Onde foi parar esse dinheiro?
Será que sabem os valores que deveriam ter prestação de contas a sociedade?
Será que já perguntaram o motivo de se pagar R$ 6.282,783, 37  a uma empresa de máquinas, tratores e continuarmos com rios assoreados que provocam alagamentos nas residências? E ainda ficarmos com saldo a pagar para este ano no valor de R$ 2.774.675,44.
Já se questionaram o motivo de pagarmos R$262.995,00 para uma empresa que fornece fogos de artifícios em um município que cancelou até mesmo as festas tradicionais?
Será que nunca questionaram as cômodas parcerias, pois até mesmo projetos Educacionais, são feitos por “parceria de conveniência” impondo a sociedade seus valores e suas opções de credo...
Foi implantado um projeto na educação que nos custou R$ 41.920,00 pagos a  uma fundação ligada ao credo de secretários e familiares do prefeito. Ora, se nem temos material de consumo para os profissionais da educação, se não temos nem mesmo em algumas escolas, papel higiênico!!! Que desperdício é esse? Ah! Ainda temos que pagar este ano, R$ 25.152,00 a esta fundação!
Bom, já gastei um tempo enorme, já me prolonguei, mas o importante é que se não sabiam, agora sabem e precisamos de respostas e de fiscalização!
Em nome de minhas crianças agradeço a presença de vocês e peço que estanquem esta hemorragia que está maltratando o presente e matando o futuro de nosso município."

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Reunião Pública

É tempo de posicionamentos e de esclarecimentos.

Aproveito para convidar não só a população da qual faço parte, mas convidar também aqueles que se imaginam não mais pertencer a população ou fazer parte do povo.
Neles incluo secretários, funcionários públicos e o prefeito de nosso município.

É hora de questionar e de obter respostas!