sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A medalha do Emil - A saga!

Hoje, quero fazer um agradecimento antes de entrar no assunto que me leva a escrever....

Vou agradecer a algum "porquinho" que jogou no chão do centro de Mangaratiba um informativo da Fundação Mário Peixoto, pois sem ele, jamais leria a publicação.

Feito este agradecimento, peço que quando não gostarem da leitura, procurem uma cestinha de lixo, mas não joguem no chão. Isto enfeia nosso município, suja e nos dá a total certeza que falta CULTURA ambiental em nossa Mangaratiba, entre outras manifestações CULTURAIS que também andam carentes por aqui. Ou seria diferente? Temos CULTURA inapropriada em nosso município.

Então...

Neste informativo, li uma singela homenagem ao meu blog, feita pelo gestor da Fundação que escreveu, escreveu, escreveu e não disse, não disse, não disse absolutamente nada.

Li citações de Camões, Cícero e até Ibraim Sued.....mas, continuei a não saber a que vieram!

Até fiquei com vontade de entrar em um debate de ideias com o gestor e escrever sobre CULTURA, como faço com o turrão, meu amigo Lacerda, mas relendo todo o editorial, percebi que não conseguiria atingir este objetivo. Afinal, teria que escrever, me valer das citações de outras pessoas, ou dissertar sobre meu curriculum vitae, onde infelizmente não existe manifestações de enterros simbólicos de gestores feitas por funcionários. Para que ficasse no mesmo patamar daquele que acredita ser o "must" da CULTURA, também poderia dizer que por várias vezes fui convidada para a Academia .... dele! Enfim, seria uma inutilidade, pois não vi ideia nenhuma a ser trocada neste editorial.

Talvez, pense isto, por usar as vendas que me impedem de ver o trabalho CULTURAL que vem sendo realizado em Mangaratiba. Talvez, pense assim, por estar mais distante do pequeno círculo que o cerca, sendo eu, simples e distante população que "imagina" que CULTURA, abrange mais que livros, ou louvores a forma mais tradicional e separatista da manifestação CULTURAL de um povo, como saraus, recitações de poesias, filmes antigos, ou teatro pseudo vanguardista, para platéias compostas sempre....das mesmas pessoas que fazem parte daquele círculo.....

Mas, pensei também que poderia ser a tal venda que quero colocar nos outros! Quem sabe quero usar estas vendas para que nós, população, possamos buscar mais opções para nossa manifestação CULTURAL? Sei lá....


Bom, sem que do outro lado de um debate tenha alguém capaz de instigar, fica complicado rebater alguma coisa... ainda mais, rebater um poeta, que está acima das críticas ou do campo de visão dos demais seres humanos.

Assim, resta-nos somente a misericórdia do mestre das letras em sua magnitude, poupar-nos daquilo que talvez não alcancemos....afinal, Catilina tremeu diante deste editorial! E ele sentiu-se o próprio Cícero.

Quanta CULTURA! Só faltou a QUALIDADE! Ou meu simplório ser, não merecia mais qualidade? Ou esta é a qualidade dada a CULTURA em Mangaratiba? Sei lá! Mas, não gostaria que um texto de um poeta, fosse para as ruas com tanta displicência, ainda mais se fosse gestor de CULTURA e PROFESSOR!

Não me senti "HOMENAGIADA", nem quando citou o "CULUNISTA" Ibraim Sued... corrigir o trabalho de um informativo oficial da prefeitura, também seria uma demonstração de cuidados com a CULTURA, assim como um bom ourives cuida da jóia que pacientemente cria....


Sr. Emil de Castro, jamais irei desrespeitá-lo, pois talvez o senhor não tenha de fato entendido a crítica que fiz a medalha instituída pela Fundação Mário Peixoto aos professores de Mangaratiba. Com os pés fincados neste chão, vivendo plenamente o momento de nosso município, talvez entendesse que já está mais do que na hora de mudarmos os critérios que estabelecem estas homenagens. Talvez percebesse o quanto precisamos mais do que adocicar o fel que estamos bebendo... talvez sentisse o quanto está distante da Mangaratiba que nasce sofrendo em suas mudanças....CULTURAIS e sociais.

Talvez ...talvez... concordasse que não existe ninguém acima do bem e do mal e que mesmo a sinceridade, não faz um bom gestor. Talvez saindo de seu círculo pequeno e mofado, notasse as manifestações REAIS de nossa gente, muito diferente das que se quer impor como ÚNICAS.


E para não perder a piada, cito ABELARDO BARBOZA, meu ídolo CHACRINHA:


Quem não se comunica, se trumbica!

Eu vim para confundir, não para explicar!


N.L: Olhem a postagem do Lacerda sobre o tema CULTURA, é só (clicar aqui).



5 comentários:

  1. Leila, eu li o informativo, mas não fui eu que joguei no chão.kkkkkkkk Sabia que não iria deixar sem resposta...

    Gagueje muito por aí, para nosso deleite.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!

    Gaguejando eu vou! Sem lenço, sem documento, nada no bolso ou nas mãos...

    ResponderExcluir
  3. Talvez por esse motivo gagueje tanto... "nada no bolso ou nas mãos"...

    ResponderExcluir

Comente com responsabilidade e participe com sinceridade!